Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Vice-governador participa da abertura da 7ª Feira Brasileira do Varejo

Publicação:

Vice-governador participa da abertura da 7ª Feira Brasileira do Varejo
Vice-governador participa da abertura da 7ª Feira Brasileira do Varejo - Foto: Joel Vargas/Divulgação Prefeitura Municipal de Porto Alegre

Com o tema “O Varejo em Tempo Real”, o Sindilojas Porto Alegre realiza, até a próxima quinta-feira (30), a 7ª edição da Feira Brasileira do Varejo, na Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs). Voltada para empresários, fornecedores, consultores e demais profissionais que atuam no segmento, a FBV deste ano deve reunir cerca de oito mil visitantes durante os três dias de programação, e prospectar mais de R$ 7 milhões em negócios.

O vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, participou da abertura do evento, e destacou a importância do setor varejista para a geração de empregos e movimentação da economia gaúcha. “Quero reconhecer aqui a coragem que todos vocês têm, que empreendem com todas as dificuldades que se apresentam no cenário nacional e em nosso Estado”, destacou.

Ranolfo também destacou a melhora nos indicadores de Segurança Pública que afetam diretamente o setor, como a redução nos totais de furtos e roubos verificadas ao longo dos últimos quatro meses. Ele reconheceu o empenho dos operadores de segurança, e pediu uma salva de palmas aos brigadianos e policiais civis que atuam no policiamento ostensivo. “Estamos muito longe de onde queremos chegar, mas estamos no caminho certo, e isso é graças ao trabalho destes homens honrados”, afirmou.

A reforma da previdência, e a necessidade de uma reforma tributária também se destacaram nos pronunciamentos ao longo do evento. O presidente da Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do RS (Fecomércio-RS), Luiz Carlos Bohn salientou a relevância da FBV para o setor, e pediu para que se discutam tais reformas: “No centro da discussão está a reforma da previdência. Ela não é a cura de todos os males, mas é necessária neste momento. Não podemos esquecer também da importância de uma reforma tributária. Ela é essencial para diminuir o peso da carga tributária sobre nossas empresas. Um país só cresce se suas empresas crescerem”.

Ranolfo também destacou a necessidade de mudanças estruturais. “Nós temos um emaranhado de leis que dificultam os empresários a investir. Precisamos apoiar a reforma da previdência e também uma reforma tributária”, disse.

O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan, ressaltou importância do evento e o protagonismo do Sindilojas nas pautas da cidade. “A FBV quebra paradigmas. Enfrentou crises financeiras e até uma greve de caminhoneiros e segue forte, liderada pelo Sindilojas, uma entidade que olha para a sociedade como um todo. O Sindilojas entende que, sem as pessoas, os negócios não prosperam.”

Feira movimenta o mercado varejista

A FBV tem o objetivo de reunir fornecedores e lojistas em um só espaço, permitindo interação e a formação de novas parcerias e negócios. Entre os expositores estão empresas com soluções em tecnologia, gestão, segurança, marketing e outros serviços para o setor. Desde a primeira edição, em 2013, ocorre em paralelo o Congresso Brasileiro do Varejo, que reúne os principais nomes de referência nacional e internacional no setor.

“Não dá para separar o nosso negócio da qualidade das pessoas que fazem nosso negócio”, disse o presidente da FBV, Ronaldo Sielichow, agradecendo o empenho do presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse, na realização do evento.

Kruse apontou o trabalho desenvolvido por empreendedores em todo o Brasil, que fez com que o comércio varejista fechasse 2018 com 8,1 mil novas lojas, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). “Quero fazer uma saudação especial aos empresários que, com paciência e tolerância, empreendem e fazem o Brasil crescer”, afirmou.

Ainda de acordo com a CNC, em 2018 o segmento com melhor desempenho na abertura de lojas foi o de hiper e supermercados, que ganhou 4.510 novos estabelecimentos, seguido pelo de utilidades domésticas e eletroeletrônicos (1.747) e pelas drogarias, farmácias e lojas de cosméticos (1.439).

Para 2019, a CNC projeta crescimento de 5,8% no volume de vendas do varejo. A expectativa da entidade é que, ao fim deste ano, aproximadamente 23,3 mil novos estabelecimentos com vínculos empregatícios sejam abertos. Confirmada essa expectativa, 2019 apresentará o maior saldo de abertura de lojas desde 2013.

Texto: Júlia Soares/GVG

Gabinete do Vice-Governador