Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Vice-governador prestigia inauguração de projeto de mão de obra prisional em Pelotas

Publicação:

Foto consiste em algumas pessoas de frente para a placa da Artecon
Fábrica de artefatos de concreto foi instalada no Presídio Regional de Pelotas - Foto: Rodrigo Ziebell / SSP
Por Texto: Carlos Ismael Moreira/Ascom SSP Edição: Secom

Em menos de dois minutos, cerca de 1 kg de massa é retirado da misturadora, em quatro colheradas de espátula, vai para um molde, passa por uma prensa e sai no formato de um bloco vazado, dividido em duas células. O que seria apenas mais um tijolo é a pedra fundamental para construção de um caminho de esperança e renovação na vida de detentos do Presídio Regional de Pelotas, no sul do Estado.

A peça simboliza o início da produção da fábrica de artefatos de concreto dentro da unidade prisional, inaugurada na quinta-feira (30/5) em cerimônia com a presença do vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior,  e da prefeita do município, Paula Mascarenhas, entre outras autoridades.

O projeto aplica o aproveitamento da mão de obra prisional em benefício do poder público e como instrumento de ressocialização. A cada três dias de trabalho, os sete presos – que irão atuar de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h – reduzirão um dia de suas penas.

"Criamos a Secretaria da Administração Penitenciária com objetivo principal de ampliar o número de

A foto mostra o primeiro bloco de concreto vazado produzido pela fábrica ArteconP no Presídio Regional de Pelotas
Primeiro bloco de concreto vazado produzido pela fábrica Artecon P no Presídio Regional de Pelotas - Foto: Rodrigo Ziebell / SSP

vagas. Mas não adianta criar por criar. É essencial abrir vagas qualificadas, que permitam devolver à sociedade cidadãos melhores. Esse projeto de Pelotas se alinha perfeitamente com nosso propósito", afirmou Ranolfo.

A estrutura vai produzir cerca de 200 blocos de concreto por dia, além de tubos para canalização. Os materiais serão utilizados em obras da cidade, reformas no presídio e na construção do Centro de Reintegração Social vinculado à Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac).

A estrutura vai produzir cerca de 200 blocos de concreto por dia, além de tubos para canalização. Os materiais serão utilizados em obras da cidade, reformas no presídio e na construção do Centro de Reintegração Social vinculado à Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac).

O galpão da fábrica foi erguido pelos próprios presos após produzirem 5 mil blocos de concreto durante a fase de preparação do projeto. Em uma parede lateral, foram pintadas palavras como "presídio", "participação", "perdão", "profissão" e "paz", que trazem na primeira letra a inspiração para o nome da fábrica: Artecon P.

Universidade parceira

"Este projeto simboliza um farol para a grande transformação que sonhamos: fincar no nosso território a bandeira da paz. A Artecon P é exemplo de que é possível fazer a diferença, mudar vidas e lutar por uma sociedade melhor. Essas pessoas têm direito a uma segunda chance, e o que nós estamos fazendo é abrir portas para que elas sejam acolhidas e possam recomeçar”, disse a prefeita Paula Mascarenhas, que entregou certidões de honra aos presos operários.

"A esperança estava meio longe para nós, e agora a temos. Graças a essas pessoas que acreditaram em nós, com oportunidade e confiança. Toda a esperança que deram para mim, vou passar para meus irmãos aqui. Ao sair, pretendo fazer faculdade e continuar colaborando com eles", agradeceu o detento Jaques da Silva, líder do grupo e que ajudou a recuperar a maioria do maquinário de trabalho.

A foto mostra o Vice governador Ranolfo, a prefeita Paula Mascarenhas, Mario Santa Maria, da Susepe, e o juiz Marcelo Cabral inaugurando a fábrica
Vice Ranolfo, prefeita Paula Mascarenhas, Mario Santa Maria, da Susepe, e o juiz Marcelo Cabral inauguram fábrica - Foto: Rodrigo Ziebell / SSP

Criada dentro do programa Pacto Pelotas pela Paz, a fábrica é uma iniciativa intersetorial que envolveu diferentes órgãos municipais, contou com apoio da iniciativa privada e foi realizada em parceria com a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e a Universidade Católica de Pelotas (UCPel).

O secretário interino de Saúde e idealizador do Mão de Obra Prisional (MOP) no município, Leandro Thurow, foi homenageado pela prefeita com placa de reconhecimento, assim como Olavo Rocha, empresário que doou uma das máquinas fundamentais para a fábrica.

Na solenidade, a prefeita Paula Mascarenhas e o reitor da UCPel, José Carlos Bachettini Júnior, assinaram termo de cooperação para aprimorar a técnica da mão de obra dos apenados. A universidade é parceira da iniciativa, realizando testes de resistência e estudos de traço dos materiais.

O superintendente da Susepe, Mario Santa Maria Júnior, destacou que a Artecon P é um exemplo fantástico da ressocialização como maior propósito do sistema penal. "A grande mensagem é que é possível identificar as pessoas que estão dispostas a reabilitação para uma nova vida".

Reforço no efetivo

Juiz da Vara de Execuções Criminais da Comarca de Pelotas, Marcelo Malizia Cabral afirmou que a inauguração da Artecon P traduz a preocupação do Estado em tornar o ser humano que acabou preso mais digno para retornar à sociedade. "Se há um motivo para termos aqui (em Pelotas) 1.100 pessoas encarceradas, é para torná-las melhores", disse o magistrado.

"A sociedade muitas vezes tem o conceito equivocado de que preso tem de sofrer, e esquece, ou finge não saber, que não temos prisão perpétua. Que esse detento vai voltar para o convívio social ainda pior. É por isso que temos um eixo para revitalização do sistema prisional em nosso programa estadual. Com certeza, vou levar o exemplo da Artecon P para o RS Seguro", acrescentou o vice-governador.

A imagem mostra o bice-governador Ranolfo Vieira Júnior em discurso com um banner da reunião-almoço Tá na Hora da Associação Comercial de Pelotas ao fundo.
Vice-governador Ranolfo Vieira Júnior participou da reunião-almoço Tá na Hora da Associação Comercial de Pelotas - Foto: Rodrigo Ziebell / SSP
Mais cedo, o RS Seguro foi apresentado por Ranolfo a empresários da região, durante reunião-almoço na Associação Comercial de Pelotas. Finalizando a visita a Pelotas, o vice-governador participou de reunião com prefeitos na sede da Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul).

No encontro, foi apresentado estudo realizado pelo programa de pós-graduação em Política Social e Direitos Humanos da UCPel, com mapeamento de estruturas e demandas dos municípios em relação à Segurança Pública na região Sul do Estado.

Ao final, Ranolfo apresentou informações sobre o planejamento para distribuição dos cerca de 2 mil concursados da Brigada Militar e 400 da Polícia Civil que estão em treinamento e devem ingressar nas corporações em agosto.

Gabinete do Vice-Governador